Arquivo do mês: novembro 2012

22 SÉCULOS A MEDIR AREA – Miguel Abreu e Ana Cannas da Silva

Das geniais descobertas e invenções de Arquimedes (287-212 AC), conta-se que a sua favorita tera sido a de que a superfcie de uma esfera entre dois planos paralelos que a intersetam depende apenas da distância entre esses planos e não da altura onde intersetam a esfera . Mais ainda, como se ilustra na Figura , o teorema de Arquimedes afi rma que a área da superfície esférica é igual à de um cilindro com o raio da esfera e altura a distância entre esses planos.

Publicado em Artigos Klein | Deixe um comentário

O poder das coligações partidárias na Assembleia da República Portuguesa- José M. Alonso-Meijide, Flávio Ferreira, Mikel Álvarez-Mozos e Alberto A. Pinto

No campo das ciências políticas, o poder de um partido numa assembleia ou parlamento é medido pela sua capacidade em transformar coligações perdedoras  em coligações vencedoras, considerando que uma coligação é vencedora, se obtiver mais do que 50% da totalidade dos votos; caso contrário, a coligação é considerada perdedora. O poder de um partido é medido atraves da sua capacidade de transformar coligaçõeso perdedoras em coligações vencedoras, dizendo-se, nesse caso, que o partido é crítico para essas coligações. A falta […]

Publicado em Artigos Klein | Deixe um comentário

Frações contínuas: como aproximar bem números reais por números racionais- Carlos Gustavo Moreira

A teoria de frações  contínuas é um dos mais belos assuntos da Matemática elementar, sendo ainda hoje tema de pesquisa. Nas inclusões N ⊂ Z ⊂ Q ⊂ R, a passagem de Q para R é sem dúvida a mais complicada conceitualmente e a representação de um número real está diretamente ligada á própria noção de número real. De fato, o conceito de número natural  é quase um conceito primitivo. Já um número inteiro é um número natural com um […]

Publicado em Artigos Klein | Deixe um comentário

Números (Pseudo) Aleatórios, Probabilidade Geométrica, Métodos de Monte Carlo e Estereologia- Humberto José Bortolossi

Muitos jogos de computador realizam ações que, em princípio, parecem ser aleatórias: embaralhar as cartas no jogo paciência, distribuir as minas no jogo campo minado, lançar dados em um jogo de RPG (Role Playing Game), etc. Todas estas ações  são programadas a partir da suposta capacidade do computador de gerar números aleatórios. Contudo, a maioria dos computadores digitais domésticos atuais não geram números aleatórios. O que estes computadores fazem é usar um algoritmo para produzir números (denominados pseudoaleatórios) que “simulam” […]

Publicado em Artigos Klein | Deixe um comentário